Home / Destaques / Armadilha para mosquito da dengue é ensinado às crianças da SABSA

Armadilha para mosquito da dengue é ensinado às crianças da SABSA

O equipamento é feito com material reciclável e bem simples de desenvolver

Por Malu Rosato

Há três anos desenvolvendo armadilhas para o mosquito da dengue, Fernando César Oliveira, apresentou na manhã de terça-feira, dia 22, às crianças que fazem parte do Projeto Social – “Construindo Cidadania”, da Sociedade Amigos do Bairro Santa Angelina (Sabsa), como fazer esta armadilha.

Utilizando apenas uma garrafa pet de dois litros, tela mosqueteira, tesoura, água e arroz cozido, os alunos aprenderam como ter em minutos uma armadilha que pode durar 450 dias. O objeto deve ser colocado na área externa de residências, empresas ou comércios.

Para desenvolver a armadilha, é só seguir o passo a passo apresentado na imagem abaixo:

Segundo Fernando, o objetivo da armadilha é atrair o mosquito da dengue para dentro da garrafa. A manutenção semanal é primordial, pois os mosquitos serão atraídos para dentro do recipiente, pois em torno da garrafa, próximo a água eles depositarão seus ovos. A função do cuidador é jogar água uma vez por semana nesta parte aonde os ovos foram alojados, para que eles possam cair dentro da garrafa, que tem dentro água com o arroz. Mesmo trocando a água do local, os mosquitos que lá entraram não sairão mais, nem as larvas.

A apresentação teve como objetivo mostrar os riscos que a dengue oferece para a população e o que pode ser feito para combater. De acordo com o presidente da entidade, José Carlos Porsani, a conscientização é o primeiro passo para o sucesso do combate, para assim obter resultados. “Estamos trabalhando junto as nossas crianças e familiares sobre a importância da conscientização, desde a doação das garrafas para o desenvolvimento das armadilhas, até a importância de levarem ensinamentos como este para dentro de casa, para seus próprios amigos, familiares e vizinhos”, explicou.

A professora de artesanato da Sabsa, Helena Rocha, que acompanhou a demonstração feita com as crianças do período da manhã, repassou toda a instrução e conhecimento no mesmo dia para as crianças que frequentam o período da tarde.

Os equipamentos produzidos foram todos levados por eles para serem colocados em suas casas.