Home / Facebook / Projeto Cultivar – O judiciário em prol da natureza

Projeto Cultivar – O judiciário em prol da natureza

Iniciativa objetiva diminuir impacto ambiental causado pelo desmatamento

Desde os últimos meses do ano passado, um tema recorrente tem ocupado as pautas dos órgãos de imprensa do País: a escassez de água.

Notícias publicadas em jornais de grande circulação no último final de semana dão conta de que metade das regiões metropolitanas foi severamente atingida pela maior estiagem da qual se tem notícia. As consequências da seca têm afetado não só o abastecimento de água para a população, mas também a economia dessas regiões.

Estudiosos afirmam que um dos fatores geradores desse desequilíbrio ambiental é o crescente desmatamento de florestas e matas brasileiras, aliado ao consumo excessivo de recursos hídricos por parte da população – segundo a ONU, uma pessoa necessita de cerca de 110 litros de água por dia para atender às suas necessidades de consumo e higiene. No Brasil, estima-se que cada pessoa consuma 250 litros de água diariamente.

Para tentar mudar esse cenário desfavorável, o presidente do Tribunal de Justiça paulista, desembargador José Renato Nalini, aproveitou a celebração do aniversário da cidade de São Paulo, no último domingo (25), para lançar o projeto CultivAR, que tem o objetivo de contribuir para a melhoria da qualidade de vida nas áreas urbanas e estimular o reflorestamento. “São Paulo necessita de mais chuva, mas precisamos também arregaçar as mangas para recuperar matas ciliares e plantar mais árvores. Falta muito verde na capital, que é uma imensa massa cinza”, disse o presidente durante o ato inaugural do projeto – o plantio de um arbusto de pau-brasil em frente ao Palácio da Justiça, sede administrativa do TJSP.

O projeto prevê que uma árvore nativa seja plantada pelo presidente em todas as solenidades do Judiciário realizadas nas comarcas do Estado. No entanto, a expectativa da Presidência é que ele seja expandido e colocado em prática por todos os servidores dos fóruns doEstado, independentemente da visita de José Renato Nalini. “Estamos passando por uma crise hídrica extremamente grave e queremos incentivar todas as pessoas a replantarem e reporem as matas ciliares, colocando São Paulo em uma média racional de verde por habitante e, com isso, tentar devolver à natureza o que subtraímos dela. É esse o simbolismo”, explica.

Para o juiz assessor da Presidência Ricardo Felicio Scaff, a iniciativa impactará positivamente as futuras gerações. “Nossa expectativa com esse projeto é mudar a consciência da população. É uma iniciativa que trará benefícios a todos, inclusive às gerações futuras, pois zelar pela natureza deve se tornar um hábito, que não pode ser esquecido quando essa crise acabar. Precisamos contribuir para a melhoria das condições de vida de toda a população.”

Diante da grave situação verificada em grande parte do Brasil, a Presidência da Corte Bandeirante conclama todos os magistrados, servidores e colaboradores a contribuírem para o sucesso do projeto CultivAR em todo o Estado, auxiliando na reconstrução de nossas matas e florestas.

O plantio das árvores será divulgado nas redes sociais do TJSP. Para tanto, basta que as imagens sejam enviadas para o e-mail fotografia@tjsp.jus.br, com os dados da unidade e/ou fórum em que foi plantada, data do plantio e espécie da muda e/ou arbusto, além de telefone para contato. A Presidência do Tribunal de Justiça de São Paulo conta com a colaboração de todos!

NR.: Matéria originalmente publicada no DJE de 28/1.

Comunicação Social TJSP – AM (texto) / AC (fotos) / DG (logotipo)

imprensatj@tjsp.jus.br

Fonte: http://www.tjsp.jus.br/

Site: Tribunal de Justiça São Paulo

Link: http://www.tjsp.jus.br/Institucional/CanaisComunicacao/Noticias/Noticia.aspx?Id=25466